É uma técnica simples. Mediante a retirada de sangue da veia E SUA IMEDIATA APLICAÇÃO NO MÚSCULO, AUMENTA EM QUATRO VEZES O NÚMERO DE MACRÓFAGOS NO ORGANISMO. São os macrófagos QUE FAZEM A LIMPEZA DE TUDO, eliminando bactérias, vírus e câncer.

19
Jan 13
"...As doenças infecciosas, alérgicas, auto-imunes, os corpos estranhos
como os cistos ovarianos, miomas, as obstruções de vasos sanguíneos são
combatidas pelos macrófagos, que, quadruplicados, conseguem assim
vencer estes estados patológicos ou, pelo menos, abrandá-los. No caso
particular das doenças auto-imunes, a autoagressão decorrente da
perversão do Sistema Imunológico é desviada para o sangue aplicado no
músculo, melhorando assim o paciente. ...". Trecho do artigo do dr.
Luiz Moura que resume o que é e como funcina a auto-hemoterapia em
http://www.rnsites.com.br/aht_luiz_moura.pdf "...ESCLERODERMIA Dia
10/09/1976, se interna na clínica, nesse tempo, eu era chefe da clínica
médica do Hospital Cardoso Fontes, e tinha uma consultora dermatológica
lá Dra. Rícia Álvaro Florião, trabalha aqui pertinho na Praça Sans
Penã, pois olha, ela então, ela fez um diagnóstico com três biópsias, é
uma senhora que há 8 meses não andava, estava em cima de uma maca,
entrevada e chega e é internada no hospital. Bom, aí ela faz o
diagnóstico, tira as biopsias, manda para Anatomopatologia do hospital
e a Dra. Glória Moraes, chefe do Anatomia Patológico, dá o laudo:
esclerodermia fase final. Então a Dra. Rícia resolveu dar uma aula. Nós
tínhamos toda segunda-feira uma aula dos casos que não fossem
rotineiros, dos casos que saiam da rotina. E esse é um caso bastante
raro. Esclerodermia é uma doença auto-imune e que não é freqüente.
Então ela deu uma aula belíssima, eu aprendi muito com ela porque eu
não sabia nada sobre a esclerodermia, sabia de ter lido livro, nunca
tinha visto paciente esclerodérmico, e eu era chefe dela! E ela deu a
aula lá, quando terminou a aula, quando tava terminando o prognóstico,
quando se diz o que pode ser feito pela paciente, a Drª. Rícia mandou a
enfermeira levar a paciente. Eu entendi, agora chegou a hora de dizer o
que tem que fazer pela paciente. Você mandou tirar a paciente para ela
não escutar. Ela disse: é verdade, eu não tenho nada há fazer pela
paciente. Eu digo a Rícia: "Você me entrega essa paciente para eu
aplicar uma técnica, que não é corrente e chama-se Auto-hemoterapia.
Ela riu e disse assim, ela riu na frente do chefe que era eu e dos
outros dois assistentes, que eram meus assistentes, e disse assim: -
"Dr. Moura, eu fui residente médica, o senhor sabe que eu cheguei em
maio dos EUA, eu era residente médica, lá, numa clínica para onde
convergiam todos os casos de esclerodermia de todos os EUA, e a clínica
não era mais nada de um depósito de esclerodérmicos, não tinha mais
nada a fazer. Então o senhor acha que pode fazer?" Eu disse: Olha, eu
vou agora em casa pegar os dois trabalhos do Dr. Jésse Teixeira e do
Dr. Ricardo Veronesi, eu vou pegar esses dois trabalhos, e você vai ver
que a idéia tem fundamento. Fui, levei vinte minutos para trazer os
trabalhos. Cheguei lá e li essas partes principais dos dois trabalhos e
perguntei: E agora Rícia? "Ahh, Tem lógica, pode funcionar, vale a
pena." E eu então fiz. Mas eu precisava, como ia fazer uma coisa nova,
num hospital, que ninguém nunca tinha feito, eu então peguei a .... fiz
uma dose brutal. Eu tirei 20 cc de sangue e apliquei 5 cc em cada em
cada braço (deltóide) e 5 em cada nádega, porque eu tinha que produzir
um resultado, ou funcionava ou não funcionava, eu tinha que chega a....
A melhora foi uma coisa espantosa. Ela (a paciente) ficou..., os
tecidos dela..., porque a pessoa com esclerodermia fica com a pele como
se fosse pele de jacaré, dura, a pessoa morre numa situação terrível,
porque morre em asfixia, porque não consegue respirar mais. O pulmão
não pode expandir, não tem condição de expandir, fica um bloco de
madeira, o corpo. Eu então fiz, e por incrível que pareça 30 dias
depois no dia 10/10/1976 essa paciente saiu andando do hospital. INÍCIO
QUAIS SÃO AS OUTRAS INDICAÇÕES DA AH Muitas, muitas aplicações.
Primeiro: todas as doenças infecciosas de modo geral. Segundo: todas as
doenças alérgicas, ela tem um efeito maravilhoso na asma brônquica, nas
alergias cutâneas, em doenças que ainda não se sabe bem o que é, por
exemplo, na psoríase funciona maravilhosamente bem. Nas doenças
auto-imunes, que são muitas hoje. Doença de Crohn, uma doença
auto-imune que destrói o intestino, os anticorpos atacam o final do
intestino delgado na doença de Crohn. .. O Lúpus, eu já usei, tem uma
paciente, que também vou dizer só as iniciais dela R.S., essa moça
ensina as crianças a bailar em Caxias (RS) ela sofria de Lúpus, eu
digo, ela sofria, não, ela sofre. Mas está..., não tem sintoma mais.
Não tem nada. É como se tivesse curado. E ela leva essas crianças todo
ano, patrocinado pela Itália, para dançar lá na Itália, crianças de rua
que ela ensina a dançar. Essa moça eu tratei de Lúpus ela não podia,
não tinha condições de trabalhar e nem fazer nada. No Lúpus, a
esclerodermia, que eu já contei. Artrite reumatóide, ela dá um
excelente resultado em atrite reumatóide. Eu tenho uma paciente da
UFRJ, uma funcionária de lá que tava praticamente sem andar há 8 anos e
com a AH ela está hoje normal. Ela sobe no meu consultório, pega
ônibus. Não tem mais problema nenhum. Na miastenias grave, eu tenho um
paciente que tem a minha idade, 78 anos. Esta paciente, ela até tem um
mês a mais do que eu, vai fazer 79 antes de mim, eu faço 79 em maio.
Ela foi diagnosticada em miastenias graves em 1980, no Instituto de
Neurologia, na Av. Pasteur e foi dado, como não tem nada o que fazer,
porque nada se fazia mesmo. E ela vem fazendo a AH desde 1980, ela é a
única sobrevivente dos diagnósticos feitos de miastenias graves, de
todos os pacientes que tinham miastenias graves na época, que ela
começou em 1980, não existe nenhuma viva, só ela, e vai no meu
consultório com a filha, ela toma ônibus, pessoa humilde, e tudo, toma
ônibus e chega no meu consultório. Isso 24 anos depois. Então é
realmente uma coisa incrível da gente não se divulgar, um trabalho que
se beneficia e alivia o sofrimento de tanta gente. Em tantas direções,
em tantas patologias, em tantos tipos diferentes de doenças crônicas, e
agudas também. Eu por exemplo, eu sei que estou errado de não tomar
vacina de idoso, mas é como eu faço a AH eu não preciso tomar a vacina
de gripe, de idoso, porque eu tenho sistema imunológico ativado. Não
condeno não, ótimo que todo mundo faça vacina, tome a vacina de gripe,
é ótimo, eu não preciso, eu nem minha mulher, nós não precisamos, pois
nós fazemos a AH, mantemos nosso sistema imunológico ativado. Então
realmente é um recurso terapêutico que tem uma amplitude enorme, mas
enorme mesmo, e benefícios que causa, por exemplo, em 1980, no
consultório que eu tinha na cidade, no edifício De Paoli.... numa sala
de um irmão que tinha lá, eu atendi uma senhora, bom, eu digo só que o
nome dela era só Graças que aí não dá para identificar, essa senhora
foi diagnosticada de esclerodermia, pelo serviço médico da Petrobrás, e
foi dada, como não tinha cura. Não tinha o que fazer e decidiram então
aposentá-la, foi quando ela me procurou, eu contei o caso de 4 anos
antes, do caso de esclerodermia, da outra paciente do Hospital Cardoso
Fontes. Contei a ela e ela decidiu fazer o tratamento, e eu fiz o
tratamento dela, e ela não tem sintoma nenhum, nem nada, até o dia de
hoje, e só vai se aposentar no ano de 2005 por tempo de serviço, ia se
aposentar em 1980, só vai se aposentar 25 anos depois. Então realmente,
é uma coisa que poderia mudar aí, a vida de muita gente, como mudou a
vida dela, imagine se ela se aposentasse naquela altura que
aposentadoria ela teria hoje? Que situação ela teria? Bom,
provavelmente nem viva ela estaria, se não tivesse feito esse
tratamento. Então é um recurso que tem um número enorme de aplicações,
e que tem uma explicação científica de como funciona. Não é algo a
dizer que é misterioso, que é uma magia, ou uma panacéia qualquer, não!
Se sabe como, foi comprovado. O Prof. Jésse Teixeira..., realmente, os
trabalhos anteriores europeus, todos eram na base do empirismo, ninguém
tinha comprovado como funcionava, um brasileiro, Jésse Teixeira que
comprovou como funcionava 1940, aí, dai por diante com a comprovação
científica de como age o tratamento, era para esse tratamento ter sido
divulgado e estar sendo usado, porque o custo, a medicina se torna cada
vez mais cara, os recursos cada vez mais caro, as doenças que a
auto-hemoterapia evita, muitas são já de idade avançada, o idoso está
se tornando um paciente que representa um peso muito grande nas
despesas, por isso que os planos de saúde cobram absurdo dos idosos,
porque realmente eles custam muito mais caros para serem mantidos com
vida, né? E com relativa saúde. E a auto-hemoterapia, o exemplo é
nosso, nós, o que nós gastamos? Temos um plano de saúde, que não
estamos dando prejuízos para plano de saúde, minha mulher com 77 eu vou
fazer 79, nós sempre temos dois anos de diferença, só que de vez em
quando ela fica um pouco mais velha e só fica com um ano de diferença,
aí é só isso que... essa é a única diferença que há. Então, é
realmente, é uma coisa muito valiosa esse tratamento, eu espero e que a
gente consiga ir divulgando e com o tempo a gente conseguirá realmente,
e fazendo com que alguns colegas vão usando, porque vão sendo
pressionado pelos pacientes, então a verdade é essa quando eles vêem os
resultados, pacientes contam os resultados que tiveram e vêem que não
há o como explicar, muitos saem pela tangente, e dizem, ahhh isso é
remissão espontânea. É uma saída, não admitir que foi a
auto-hemoterapia. ...". Trecho da entrevista do dr. Luiz Moura em
http://www.rnsites.com.br/auto-hemoterapia-dvd.htm Relação das doenças
auto-imunes mais comuns. Miastenia gravis Tireoidite de Hashimoto
Artrite reumatóide Síndrome de Sjögren Vitiligo Psoríase Doenças
autoimunes do sistema nervoso Diabetes mellitus tipo 1 Lúpus
eritematoso sistêmico Esclerose múltipla Doença de Addison Anemia
hemolítica Síndrome antifosfolipídica autoimune Dermatite herpetiforme
Febre familiar do Mediterrâneo Glomerulonefrite por IGA
Glomerulonefrite membranosa Síndrome de Goodpasture Granulomatose de
Wegener Doença de Graves Doença celíaca Hepatite autoimune Síndrome
miastênica de Lambert-Eaton Oftalmia simpática Penfigóide bolhoso
poliendocrinopatias Púrpura autoimune Púrpura trombocitopênica
idiopática Doença de Reiter tireoidite autoimune Síndrome
antifosfolipídica Espondilite anquilosante Retocolite ulcerativa
Síndrome de Churg-Strauss Síndrome de Behçet Sarcoidose Síndrome de
Vog-Koyanagi-Harada Publicado em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Autoimunidade No endereço, links que
explicam o que é cada doença.
publicado por auto-hemoterapia às 17:02

Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

14
15
16
18

20
23
24
25
26

29
30
31


mais sobre mim
pesquisar
 
Visitantes
blogs SAPO