É uma técnica simples. Mediante a retirada de sangue da veia E SUA IMEDIATA APLICAÇÃO NO MÚSCULO, AUMENTA EM QUATRO VEZES O NÚMERO DE MACRÓFAGOS NO ORGANISMO. São os macrófagos QUE FAZEM A LIMPEZA DE TUDO, eliminando bactérias, vírus e câncer.

14
Fev 11

 

AUTO-HEMOTERAPIA Pelo Dr Luiz Moura

 

 


Entrevista com Dr. Luiz Moura

(resumo a partir da transcrição do vídeo que você pode acompanhar após o texto)

 

 

Muitas, são muitas indicações.


Primeiro: todas as doenças infecciosas de modo geral.


Segundo: todas as doenças alérgicas, ela tem um efeito maravilhoso na asma brônquica, nas alergias cutâneas, em doenças que ainda não se sabe bem o que é, por exemplo, na psoríase funciona maravilhosamente bem.


Terceiro: nas doenças auto-imunes, que são muitas hoje. Doença de Crohn, uma doença auto-imune que destrói o intestino, os anticorpos atacam o final do intestino delgado na doença de Crohn.


No Lúpus eu já usei, tem uma paciente, que também vou dizer só as iniciais dela R.S., essa moça ensina as crianças a bailar em Caxias (RS) ela sofria de Lúpus, (…) Não tem sintoma mais. É como se tivesse curado o lúpus. E ela leva todo ano, patrocinado pela Itália, para dançar lá na Itália, crianças de rua que ela ensina a dançar. Essa moça que eu tratei de Lúpus não tinha condições de trabalhar e nem fazer nada.


Artrite reumatóide, ela dá um excelente resultado em atrite reumatóide.
Eu tenho uma paciente da UFRJ, uma funcionária de lá que tava praticamente sem andar há 8 anos e com a AH ela está hoje normal. Ela sobe no meu consultório, pega ônibus. Não tem mais problema nenhum.
Na miastenias grave, eu tenho uma paciente que tem a minha idade, 78 anos. Ela foi diagnosticada em miastenias graves em 1980, no Instituto de Neurologia, na Av. Pasteur e foi dito que não tem nada o que fazer, porque nada se fazia mesmo. E ela vem fazendo a AH desde 1980, ela é a única sobrevivente dos diagnósticos feitos de miastenias graves, de todos os pacientes que tinham miastenias graves na época, que ela começou em 1980, não existe nenhuma viva, só ela, e vai no meu consultório com a filha, ela toma ônibus, pessoa humilde e tudo, toma ônibus e chega no meu consultório. Isso 24 anos depois.


Então é realmente uma coisa incrível não se divulgar, um trabalho que se beneficia e alivia o sofrimento de tanta gente. Em tantas direções, em tantas patologias, em tantos tipos diferentes de doenças crônicas, e agudas também. Eu por exemplo, (…) não preciso tomar a vacina de gripe, porque tenho sistema imunológico ativado. Não condeno não, (…) eu não preciso, nem minha mulher, pois fazemos a AH, mantemos nosso sistema imunológico ativado. Então realmente é um recurso terapêutico que tem uma amplitude enorme, mas enorme mesmo, e benefícios imensos. (…) por exemplo, em 1980, eu atendi uma senhora, digo só que o nome dela é Graças, essa senhora foi diagnosticada de esclerodermia, pelo serviço médico da Petrobrás. Não tinha o que fazer e decidiram então aposentá-la, foi quando ela me procurou, eu contei o caso de 4 anos antes a ela e ela decidiu fazer o tratamento. Eu fiz o tratamento e ela não tem sintoma nenhum, nada, até o dia de hoje, e só vai se aposentar no ano de 2005 por tempo de serviço, ia se aposentar em 1980, só vai se aposentar 25 anos depois.


Então realmente, é uma coisa que poderia mudar a vida de muita gente, como mudou a vida dela, imagine se ela se aposentasse naquela altura que aposentadoria ela teria hoje? Que situação ela teria? Bom, provavelmente nem viva ela estaria, se não tivesse feito esse tratamento. Então é um recurso que tem um número enorme de aplicações, e EXISTE uma explicação científica de como funciona. Não é algo a dizer que é misterioso, que é uma magia, ou uma panacéia qualquer, não! Se sabe como, foi comprovado CLINICAMENTE. (…) os trabalhos anteriores, europeus, todos eram na base do empirismo, ninguém tinha comprovado como funcionava. Um brasileiro, Jésse Teixeira comprovou como funcionava EM 1940, daí por diante com a comprovação científica de como age o tratamento, era para ter sido divulgado e estar sendo usado, porque a medicina se torna cada vez mais cara, os recursos cada vez mais caros. (…) o idoso está se tornando um paciente que representa um peso muito grande nas despesas, por isso que os planos de saúde cobram absurdo dos idosos, porque realmente eles custam muito mais caros para serem mantidos com vida, né? E com relativa saúde. (…)

CISTOS DE OVÁRIOS E MIOMAS


Minha filha que mora na Espanha era estéril, tinha ovários policísticos, não podia engravidar. E o médico de lá, Dr. Pedro, que veio a ser o obstetra dela, fez os partos dos dois filhos que ela teve, fez a aplicação da auto-hemoterapia nela e uns seis meses depois ela não tinha mais cistos algum, o sistema imunológico tinha devorado os cistos e ela engravidou a primeira vez. O Dr. Pedro que aplicou a auto-hemoterapia nela continuou, ela depois engravidou a segunda vez. Depois de vinte e tantos anos, aplicou o DIU nela para não engravidar mais. Aí inverteu o problema, antes era estéril e depois teve que usar DIU, para não engravidar mais, porque ela já estava satisfeita com o casal de filhos (…) depois eu usei em pacientes aqui, muitos casos de cistos de ovários e de mioma também, o mioma é devorado pelo sistema imunológico, então é realmente uma coisa de enorme valor, eu espero que agora haja uma divulgação maior da auto-hemoterapia.

PÚRPURA TROMBOCITOPÊNICA


(…) Essa moça tinha um filho pequeno e começou a sangrar, gengivas, até pelo ouvido. O médico de Visconde de Mauá, quando viu que ela poderia morrer mandou para Resende, em Resende mandaram ela a um hematologista em Volta Redonda, lá ele constatou que ela estava só com 10.000 (dez mil) plaquetas, quando o normal varia de 200.000 à 400.000 (duzentas a quatrocentas mil) plaquetas, e então começou o tratamento, com cortisona em altas doses, 100ml de Meticorten por dia, uma dosagem brutal, realmente as hemorragias desapareceram, as plaquetas subiram pra 150.000 (cento e cinqüenta mil) e assim ela teve 6 meses tomando cortisona, no fim de 6 meses não funcionou mais a cortisona, mas a cortisona tinha feito ela inchar 40 kg, (…)porque já não funcionava, ele substituiu a cortisona e as plaquetas desabaram de novo. Então substituiu (de novo) por dois medicamentos que se usam como quimioterápico em câncer, Enduxam e Metroxati, aí as plaquetas subiram de novo e voltaram ao normal, por dois meses, no fim de dois meses também não funcionou. Então o médico encaminhou-a para um cirurgião que iria tirar o baço dela, porque as plaquetas são mortas no baço, por algum motivo que a medicina ainda não sabe, elas não são reconhecidas e o baço mata essas plaquetas com um dia de idade, quando elas devem viver 5 dias, e aí a medula óssea não tem a capacidade de repor essas plaquetas. Então a solução que se encontrou foi, única solução, fazer esplenectomia, tirar o baço. Mas ela quis saber, uma moça de 20 e poucos anos com um filho de 1 ano e meio, qual a esperança dela, se havia certeza de cura, aí o cirurgião foi muito honesto: “- Olha, só há cura se o fígado substituir a função do baço, senão a senhora não vai ter uma vida que presta e vai durar pouco”. Ela então decidiu não fazer a cirurgia e voltou para Visconde de Mauá. Eu mandei ela fazer a Auto-hemoterapia e no fim de seis meses ela estava boa e hoje, depois disso teve mais dois filhos, e está com seu baço, não teve que fazer a esplenectomia, quer dizer, isso foi uma coisa extraordinária.

GANGRENA POR PICADA DE ARANHA


Essa senhora, que aluga cavalos, dona Maura, foi picada (na perna) por uma aranha armadeira, que é a pior das aranhas, (…) e ai gangrenou a perna dela (…)só se via os ossos, então como não tinha antídoto, o instituto Butantã manda que ampute, então ela foi (encaminhada) para Santa Casa amputar, (…) ela pensou que era um curativo que iam fazer, quando disseram, ela já amarrada na mesa de operações, para cortar a perna, ela começou a gritar e pediu pra que a soltassem, disseram que não, que ela ia morrer se não amputasse a perna, então ela pediu que chamassem o delegado e ele veio e disse pra ela: “- Bom, se a senhora assinar um termo de responsabilidade os médicos lhe liberam, mas a senhora vai ter que assinar um termo de responsabilidade, porque eles dizem que a senhora vai morrer gangrenada!” E ela resolveu assinar e voltou para Mauá pensando em morrer. E eu fiz a Auto-hemoterapia nela, só que eu me lembrei aí juntei mais outro recurso, me lembrei que tinha um médico francês cirurgião de guerra de 14(1914) à 18(1918) que chamava-se ‘Pierre Dulbet’, que salvou inúmeros membros amputados com uma solução com cloreto de magnésio que ele fazia com 20 gramas em 2 litros de água para ficar isotônico. Ele lavava as feridas com esse cloreto e salvou inúmeras pessoas que tinham gangrena. (…) Então juntei as duas coisas e em duas ou três semanas a dona Maura estava com a perna curada. (…) Então ela marcou consulta lá no consultório particular do médico, esperou ter bastante gente na sala e disse ao médico: “- Olha a perna que o senhor me ia cortar era essa aqui! Se o senhor há muito tempo não cortava a perna de ninguém, e precisava praticar na minha perna, era só me dizer que eu trazia um porco e o senhor teria quatro pernas pra amputar.” (…)

APLICAÇÃO NA ESCLEROSE MÚLTIPLA


Tem, mas não é a mesma coisa, porque é uma doença degenerativa, é uma doença que a bainha de mielina, a parte branca dos nervos é destruída, se supõe que seja genético, (…) há uma freqüência grande nas famílias que sofrem de esclerose múltipla de ocorrer em mais pessoas, (…) há muito mais freqüência na mulher do que no homem (…) eu usei em esclerose múltipla (…) mas há muitos anos ela está se mantendo em situação boa, ela poderia não estar viva há muito tempo. Quer dizer, pelo menos estaciona ou retarda a evolução, há um beneficio, agora, não é igual como nas doenças auto-imune, aí o resultado é mesmo muito bom!

MENINA COM ASMA MUITO GRAVE
</span>


Essa menina de 10 anos teve o que se chama, mal asmático, extremamente grave, vivia se internada para ir para o oxigênio, de madrugada a mãe tinha que levar a menina. (…) A mãe levou essa criança e eu prescrevi a auto-hemoterapia. (…) nesse caso mandei que retornasse em um mês e ela não apareceu. Passando quase 2 meses, chega a mãe com a criança, (…) só faltando querer se enfiar debaixo da mesa, de tão constrangida. E a mãe explicou que eu não trouxe a filha, porque quando foi tirar a receita da pediatra saiu junto a receita de AH, a médica replicou isso não existe, que aquilo ia matá-la (…) Mas isso aconteceu 3 semanas depois dela usar a AH e a menina ter melhorado, sem se internar esse período (…) Só que quando completou um mês e pouco a menina começou a piorar de novo aí a filha exigiu que a levasse no meu consultório. (…) Nesse dia meus clientes ficaram mofando na sala de espera porque eu levei 2 horas com essa mãe, para explicar o que era a auto-hemoterapia, para ela sair entender que não havia risco nenhum. (…) no fim a mãe disse para a filha: “- Tudo bem eu vou fazer, mas, você vai ajoelhar aqui e jurar que não vai contar a médica” – e fez a filha ajoelhar e prometer que não ia contar!
Eu dei alta para ela um ano depois curada, nunca mais teve falta de ar. Mas a mãe ficou com problema de consciência: “- Agora a médica acha que o que curou foi o tratamento dela que levou 9 anos pra fazer efeito, ela tem certeza que eu não continuei com seu tratamento. Ela é uma alergista, tem tantos pacientes com o mesmo problema que poderia se beneficiar.” (…)
< /p>

 

Auto-Hemoterapia Conversa com Dr Luiz Moura 

 

 

Copiado e adaptado do site Cura Alternativa:

http://curalternativa.x4ids.com.br/?pa ge_id=24

publicado por auto-hemoterapia às 13:58

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

17
19

21
22
24
25
26

27
28


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Visitantes
blogs SAPO