É uma técnica simples. Mediante a retirada de sangue da veia E SUA IMEDIATA APLICAÇÃO NO MÚSCULO, AUMENTA EM QUATRO VEZES O NÚMERO DE MACRÓFAGOS NO ORGANISMO. São os macrófagos QUE FAZEM A LIMPEZA DE TUDO, eliminando bactérias, vírus e câncer.

03
Ago 16
AUTO-HEMOTERAPIA - 21 aplicações em caso de psoriase (registro fotográfico e depoimento)
Fabio Castro publicou no Grupo AMIGOS DA CURA 
 
Psoríase e Auto Hemoterapia (21 sessões) 
 
Olá amigos, continuo meu estudo de caso com meu amigo que sofre com Psoríase. Para minha surpresa ele resolveu escrever um depoimento sobre os efeitos positivos da Auto Hemoterapia em meu blog. Fora o depoimento, coloquei as fotos que fiz durante esse processo que já dura 4 meses. Espero que esse texto ajude as pessoas a verem uma luz no fim do túnel, A Psoríase não tem cura, mas pode SIM melhorar a aparência das lesões e com isso também a qualidade de vida do paciente.Para ler na integra o depoimento e ver as fotos, é só acessar o blog. Um grande abraço a todos. 
 
 
 
Olá, meu nome é Beto (nome fictício), e eu sofro com PSORÍASE. Infelizmente essa doença se manifestou da forma mais grave possível, tenho 60% da minha pele completamente comprometida por uma lesão horrível e limitante. Fazem mais de 10 anos que não consigo sequer colocar uma camiseta de manga curta ou uma bermuda. Sou privado da liberdade de poder sair na rua sem os olhares repugnantes das pessoas em relação a minha doença. Tenho vergonha de me mostrar para os outros, mesmo para pessoas intimas, tenho vergonha de tudo, EU TENHO vergonha de mim e me sinto culpado por isso. Com o tempo meu desespero foi ficando tão insuportável que cogitei em pensar em acabar com a minha vida de uma vez por todas. Durante esses anos eu tentei de tudo, mas tudo mesmo, passei por vários dermatologistas, psicólogos, remédios, pomadas, hidratantes, etc...tudo que vocês podem imaginar eu tentei. Até objeto de estudo eu fui, foi na faculdade da pele em Santa Cruz, eu fui o modelo vivo para uma classe cheia de estagiários curiosos para com a minha doença. Nunca vou esquecer a expressão no rosto dos estudantes a me ver praticamente nu, cheio de feridas inflamadas e cascas caindo no chão a cada movimento que fazia, as reações variavam entre a tristeza com a minha condição ao nojo das minhas feridas. Isso me fez muito mal na época, eu me senti um bicho exótico, tipo uma atração de circo de bizarrices da década de 60. Mas isso agora faz parte do meu passado, eu resolvi escrever esse depoimento por estar passando por uma transformação inacreditável, finalmente posso falar que estou melhorando, minha autoestima nunca esteve tão alta como agora,e tudo isso aconteceu quando conheci um amigo que resolveu me tratar com a AUTO HEMOTERAPIA. Sou de uma família simples, mãe dona de casa, pai vendedor de lojas de departamento. tive uma infância feliz ao lado dos meus 4 irmãos pelas ruas da Zona Norte. Por incentivo da minha mãe, comecei a me interessar por tocar piano, lembro bem do piano de madeira que foi um presente do meu avô para minha mãe. Evangélica praticante, não demorou muito para eu começar a acompanha lá aos cultos e começar a tocar na banda da igreja. Como eu sempre fui tímido, vi na musica uma forma de interagir com as pessoas e me tornar uma membro de um grupo, o interesse por mim só aumentava e isso me deixava nas alturas, me gabava por tocar um instrumento difícil e incomum para garotos da minha idade. Lembro-me de não ter mais vergonha de ir para escola com um tênis velho e fora de moda, dizia para quem quisesse ouvir: “não tenho tênis, mas sei tocar piano” Tudo ia bem até que a vida resolveu dar uma reviravolta enorme, que hoje em dia percebo que o real gatilho da minha doença foi uma seqüência de acontecimentos devastadores que destruíram o meu emocional, que foi a morte repentina do meu avô, meu pai, e meu irmão (que tinha apenas 27 anos) Os anos se passaram, e percebi que a igreja não era mais interessante para mim, me sentia culpado por tudo, vivia arrependido pelos meus pensamentos e acreditava que o julgamento divino iria me punir e me levar para inferno. A grande ironia foi perceber anos mais tarde que o inferno que me encontrava foi eu mesmo que criei, pra variar a culpa sempre permaneceu comigo. Aos 19 anos comecei a tocar na noite e o impacto disso na minha vida foi tão grande que me senti livre pela primeira vez. Conheci pessoas incríveis, fiz amizades e finalmente encontrei o grande amor da minha vida, o ALCOOL. Nesse tempo a doença ainda não tinha se manifestado, eu era um garoto que acabava de descobrir uma vida nova, cheia de atrativos, e isso me deixou muito confiante em seguir em frente. Não demorou muito para que eu começasse a receber convites para tocar com pessoas interessadas no meu talento. Meu primeiro grande trabalho como musico foi tocar com um cantor popular bem famoso na década de 90, shows, viagens, turnês, dinheiro e claro, muita bebida. Ao ponto que meu sucesso profissional foi aumentando, minha vida virou uma maravilha, tinha amigos, dinheiro, mulheres, e comecei a poder comprar coisas que até então era quase impossível para um cara simples como eu. Comprei roupas, equipamentos novos, até um fusca eu tive, coisas matérias satisfaziam meu ego e meu prestigio como musico só aumentava. Toquei em vários programas de TV, até na china eu fui tocar. Imagina só minha satisfação na época, poder tocar e ganhar bem por isso era inacreditável para mim, um simples garoto da zona norte. Aos 23 anos tive uma surpresa desagradável, fiquei 4 dias em Minas Gerais tocando ao ar livre, sol escaldante e eu de boné. Percebi ao acaso uma ferida no meu coro cabeludo tomando banho, mas não dei muita importância, achei que era caspa e deixei como estava. Continuei tocando e desfrutando a vida boemia que sempre quis, queria ser o Tom Jobim, beber e tocar para sempre, criar musicas incríveis, ter um sucesso tocando nas rádios, grana, mulheres, isso sim era viver, livre, completamente livre e sem culpa. Mas toda liberdade tem um preço e minha divida a pagar foi a manifestação dessa doença terrível, incapacitante e totalmente destrutiva, a maldita PSORÍASE. No começo, como já disse anteriormente, achei que era uma simples caspa no meu couro cabeludo, mas com o tempo as manifestações da doença começaram a aparecer em outras partes do meu corpo, como cotovelo, dedão do pé, coxas, nesse momento percebi que tinha um grande problema e tinha que tentar resolver. Depois do sucesso momentâneo que a carreira me proporcionou, voltei a ser uma pessoa comum, minha adicção pelo álcool era tamanha, que meus contatos já não me respondiam, meus “amigos’ não eram mais os mesmos, o whisky também mudou, a grana já não dava para bancar meu antigo amor e rapidamente mudei para uma paixão mais destrutiva ainda, me apaixonei pela CACHAÇA. Qualquer busca aleatória no Google sobre como tratar a PSORÍASE você lê: FIQUE LONGE DO ALCOOL. Esse foi exatamente meu problema com praticamente TODOS os médicos convencionais que tentei me tratar, era só falar que era alcoólatra para escutar em alto em bom som: - VOCÊ NUNCA VAI SE CURAR. Ok, eu entendi, mas COMO parar de beber se o álcool é o único prazer que tenho na vida hoje? Não tenho um relacionamento a anos, não consigo chegar em uma mulher pela vergonha que sinto, me cubro até o pescoço com roupas para não afugentar logo de cara a minha pretendente, mas e depois? Como vou fazer amor se ela fica com nojo assim que me vê sem roupa? Isso acabou comigo de uma forma tão intensa, que aceitei a minha dor e resolvi desistir de tudo, não queria saber de mais nada. Culpa, tristeza, raiva, ódio, tudo junto e difícil de aguentar, mas tudo bem, aceitei meu destino e queria acabar com esse sofrimento da pior maneira possível, beber até morrer. Foi então, que em março de 2016 o destino finalmente resolveu me dar um alivio. Por intermédio de um amigo da Zona Norte eu conheci o Fabio, uma pessoa incrível que se tornou um grande amigo hoje em dia. Nos encontramos por acaso na casa desse amigo em comum, estávamos bebendo e conversando quando ele viu de relance meu braço, na hora que ele viu, para minha surpresa, ele tocou na ferida e disse:- isso é Psoríase? Com vergonha disse que sim, ele recém-formado em auxiliar de enfermagem e com uma curiosidade extrema me falou sobre a Auto Hemoterapia, disse que fazia a 3 anos e que tinha lido um artigo de um paciente que teve melhoras significativas com o tratamento. Demorei um tempo para acreditar que tirar sangue do braço e aplicar no músculo faria alguma diferença, mas como estava sem nenhuma perspectiva de vida resolvi tentar. Um dos motivos para me arriscar nessa empreitada que até então não conhecia, foi escutar pela primeira vez em anos que eu poderia continuar a beber, pois sem esse detalhe eu NÃO faria o tratamento. Foi ai que tudo mudou, minha primeira aplicação foi marcada por medo e receio de que estava fazendo a coisa certa, mas ao ver meu amigo todo paramentado, vestindo jaleco, com luvas e todo equipamento descartável, eu fiquei mais tranquilo. Para vocês verem como estava com medo eu fiquei tão nervoso no dia da primeira aplicação que desmaiei assim que acabou o procedimento. Depois da primeira aplicação (foram 20ml divididos em 10ml em cada nádega) tenho que assumir que não senti muita diferença, mas com o decorrer das semanas percebi uma pequena mudança que me deu força para continuar o tratamento. Uma das coisas que mais me incomodavam em relação a PSORÍASE eram as cascas que caiam no chão, era só me levantar que tudo ficava sujo e lá ia eu pegar o aspirador para limpar. Com o tempo as cascas começaram a se tornar um farelo pequeno que nem de longe lembravam as cascas enormes que caiam do meu corpo. Fora isso,comecei a ficar mais disposto e com pensamentos positivos sobre minha cura. Como falei anteriormente, meu amigo é um estudioso e principalmente um entusiasta, graças a isso ele começou a pesquisar sobre como poderia ter melhores resultados associados ao tratamento. Primeiro ele me receitou o uso diário de cloreto de magnésio 500mg e depois me deu a ideia de passar óleo de amêndoas junto com um hidratante comum. Foi ai que as coisas começaram a melhorar, minha área com pele saudável começou a aparecer e a coloração mudou de um vermelho inflamado a um rosa quase cor da pele. Outro motivo que me deixou muito feliz foi que a dor que sentia com o atrito da pele com a roupa passou completamente, depois de anos passando pomadas e cremes, um simples óleo de amêndoas terminou com meu sofrimento. É isso, resolvi contar um pouco da minha historia para compartilhar minha experiência POSITIVA com a Auto Hemoterapia. Eu sei que se parasse de beber minha cura seria muito mais rápida e eficiente, mas mesmo continuando meu velho habito minha melhora está visível. Minha vida agora é outra, apesar de ainda ter meus medos e aflições, mas finalmente consegui ver uma luz no fim do túnel. Agradeço primeiramente meu querido amigo Fabio, que com sua bondade e pesquisa resolveu ajudar uma pessoa que ele nem conhecia direito. Também agradeço ao Dr. Luiz Moura, por incentivar pessoas como meu amigo, que por amor ao próximo me ajudou a ter uma vida melhor. Enfim, estou feliz e agradeço muito tudo que está me acontecendo. Se for para definir tudo que aconteceu até agora em uma palavra eu digo com todo orgulho do mundo: GRATIDÃO.  
Fetha    

http://hemoterapia.org/depoimentos/auto-hemoterapia-21-aplic acoes-em-caso-de-psoriase-registro.asp  

publicado por auto-hemoterapia às 20:21

Agosto 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
16
17
18
19
20

21
22
23
25
26
27

28
29
30
31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Visitantes
blogs SAPO